Experiência na Superliga a favor do Paraná

Publicado em: 13/03/2017 19:07
Fábio Sampaio estreou no comando do Paraná (Créditos: Daniel Zappe/MPIX/CBV)

A seleção paranaense estreou com vitória no Campeonato Brasileiro de Seleções (CBS) Sub-20 masculino da Divisão Especial. A partida, realizada nesta segunda-feira (13.03), terminou com o placar a favor da equipe do Sul do Brasil sobre o time do Distrito Federal, 3x2 (25/16, 19/25, 25/21 e 17/15). A importância do jogo não ficou somente nos três pontos somados para o seguimento da competição, o duelo foi também a estreia de Fábio Sampaio a frente do Paraná.

O treinador encerrou no último sábado (11.03) a temporada na Superliga 16/17, quando comandou o Caramuru/Castro (PR), equipe que ajudou a fundar em 2004. Nos últimos 13 anos Fábio construiu junto da comunidade do município de Castro (PR) na região dos Campos Gerais do Paraná, uma relação de amor com o voleibol. Na trajetória está incluso o título de campeão da Superliga B em 2016, apenas a segunda competição de âmbito nacional disputada pelo modesto time.

“Comecei a treinar em 2004 no projeto que eu mesmo criei, chamado Caramuru, que acabou de disputar a Superliga 16/17. A primeira competição de nível nacional de nossa equipe foi a Liga Nacional de 2015. Tudo aconteceu muito rápido, fomos para a Superliga B em 2016, com o intuito de desenvolver os nossos jovens jogadores, de crescer e aprender. Tivemos um momento de lucidez ao participar da Superliga. Tivemos uma preocupação muito grande em receber os clubes lá em Castro com uma boa estrutura. Sabíamos que seria difícil, que havia uma grande chance de cair, mas o projeto continua”, conta Fábio.

A cidade, que tem aproximadamente 60 mil habitantes, abraçou o projeto e apoiou o time nos bons e maus momentos. O impacto na população também ajuda a promover a modalidade e a dar um futuro melhor para os filhos da periferia do município. O Caramuru conta com um projeto social que atende a 500 crianças, e o interesse só cresceu depois da Superliga.

“O nosso projeto dá passos curtos, porém firmes. A última temporada foi uma grande lição. A participação numa competição deste nível fez com que o interesse pelo voleibol aumentasse. Outras cidades paranaenses viram que podem montar um time. Os atletas daqui são ídolos dessas crianças, mesmo que sejam ainda anônimos no resto do país. O esporte teve um grande impacto por aqui”, disse o treinador.

O desafio agora é passar esta experiência para os jovens da equipe Sub-20 do Paraná que estão do Grupo B do CBS da Divisão Especial ao lado de São Paulo, Pará e o próprio Distrito Federal, adversário na partida de estreia. Fábio sabe que a missão não será nada fácil, mas a bagagem acumulada nos últimos anos servirá com bússola nesta trajetória que só termina na próxima sexta-feira (17.03), dia da grande final.

“Amadureci bastante e aprendi muito com a Superliga. Tivemos menos tempo para trabalhar, mas vamos fazer o nosso melhor. Acredito que São Paulo e Rio de Janeiro estão em um nível acima. Vamos tentar manter o Paraná na divisão especial. Trouxe algumas peças da comissão técnica do Caramuru, para continuarmos o aprendizado, e termos sempre uma evolução em nosso trabalho, seja aqui na base ou entre os profissionais”, completou o treinador.

O CBS Sub-20 masculino da Divisão Especial conta com oito equipes na disputa, divididos em dois grupos de quatro times cada. As equipes jogam entre si dentro dos grupos e os dois melhores avançam para as semifinais. O sexto, o sétimo e o oitavo colocados serão rebaixados para a Primeira Divisão em 2018.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do Voleibol Brasileiro


Parceiros Oficiais